Transtornos Alimentares são problemas atuais?

Os transtornos alimentares são doenças psicológicas e psiquiátricas associadas a um padrão de comportamento alimentar que causa sério prejuízo à saúde do indivíduo, levando a prejuízos psicológicos, sociais e fatais.

Novamente vamos falar de dois dos transtornos alimentares mais comuns atualmente, acomendo Anorexia Nervosa e a Bulimia Nervosa. Já explicamos aqui no Psicologia para Curiosos a diferença entre ambos esses transtornos, então indico que vocês leiam rapidamente aquele post antes de ler esse.

Muito se fala atualmente da propagação desses transtornos por conta do que é chamado de “ditadura do corpo magro”, mas será que eles surgiram atualmente?

A ANOREXIA

A resposta é não. Esses transtornos são descritos há muitos anos. Pelo que se sabe através dos registros, a Anorexia Nervosa foi a primeira a ser descrita. Houve um caso de Anorexia em uma serva que viveu no ano 895 (sim, sem o 1 na frente mesmo). A jovem passou por uma doença e ao se recuperar começou a apresentar um apetite voraz. Para lidar com isso, ela buscou refúgio em um convento onde foi restringindo sua dieta. Chegou o momento em que ela fazia jejuns bastante longos e dai para frente o quadro se deteriorou tanto que ela morreu por desnutrição.

Há também um grande número de descrições de mulheres no século XIII que se auto-impunham longos jejuns como uma tentativa de se aproximar espiritualmente de Deus. Elas foram chamadas de “santas anoréxicas”, mas naquela época não se descrevia tais casos como anorexia, hoje é que o conhecimento cientificou aumentou e compreendemos como casos de anorexia. Uma das jovens recusou seu casamento por desejar manter-se virgem e entrou para o convento, onde se alimentava apenas de pão, água e alguns vegetais. Ela se autoflagelava e ainda induzia vômitos com ingestão de plantas. É interessante notar que esses quadros, já naquela época, apresentavam – como ainda apresentam – características de perfeccionismo, auto insuficiência, comportamento rígido e insatisfação consigo própria.

Daí para frente começou a aparecer relatos médicos da Anorexia Nervosa. Em 1694, Morton escreve o relato de uma paciente que se recusava a alimentar-se e obter ajudar, morrendo então de inanição. Em seguida, diversos casos foram surgindo e com eles relatos médicos, criando inclusive uma das mais longas novelas médicas existentes.

A BULIMIA

A Bulimia Nervosa, por mais que só tenha passado a ser caracterizada como um transtorno alimentar nos anos 1980, surgiu muito antes. O termo boulimos era usado séculos antes de Cristo. Hipócrates usava este termo para descrever uma fome doentia e fora do normal.  Em 1743 médicos já relatavam episódios de grande ingestão de alimentos e ampla preocupação consequente, que levava até a desmaios e vômitos. Mas a descrição da doença tal como se tem hoje foi criada por Gerald Russel, em 1979. Ele relatou pacientes que tinham peso normal, mas medo excessivo de engordar, apresentando episódios de comilança seguidos de vômito induzido. O interessante é que inicialmente a Bulimia era considerada uma sequela da anorexia, e não uma doença separada, como hoje a conhecemos.

            Bom, percebemos que os transtornos alimentares são doenças muito antigas, mas que hoje apresentam um grande risco por estarem cada vez mais comuns e mais graves, devido ao fácil acesso à medicações para compensação de alimentação, por exemplo.

Mas se não é algo novo, por que é preocupante?

Transtornos AlimentaresSabe-se que é normal a valorização do corpo magro em tempos de fartura de comida, pois isso traz a representação de autocontrole. Assim como em tempos de escassez de alimentos, há grande valorização do corpo gordo, pois trazia a ideia de saúde e poder. Hoje vivemos uma era de fartura de comida em nossa sociedade, mas a valorização desse corpo ideal magro vem se agravando ainda mais devido ao grande acesso às informações sobre bem-estar. Sabe-se hoje que o corpo fora de forma e a alimentação errada trazem grandes danos à saúde. Assim, há uma maior desvalorização do corpo gordo e uma valorização mais drástica do corpo magro. No meio de tudo isso, o corpo saudável é deixado um pouco de lado e surgem cada vez mais casos de transtornos alimentares, fazendo com que uma atenção ainda maior deva ser dada a essa área.

Portanto, em caso de qualquer sintoma apresentado em si mesmo ou em alguém conhecido, procure imediatamente ajuda profissional, antes de o caso se agravar.

REFERÊNCIAS

CORDÁS, T. A; Transtornos Alimentares: classificação e diagnóstico. Revista Psiquiatria Clínica, n. 31, v. 4, p. 154-157, 2004.

Sobre a autora

Priscilla Figueiredo

Priscilla Figueiredo é Psicóloga de orientação Psicanalítica graduada pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas e atua na área da saúde como psicóloga clínica. Para disseminar seu conhecimento, criou o Psicologia Para Curiosos e escreve artigos regularmente aqui no site.

Deixe seu comentario