Quais são os transtornos alimentares existentes?

Sabemos da existência dos transtornos alimentares. Quando pensamos neles, logo imaginamos a anorexia e a bulimia nervosa, os mais conhecidos. Mas há um grande número de outros transtornos de alimentação que também são graves. Por isso, hoje resolvi falar rapidamente sobre alguns desses transtornos.

TRANSTORNOS ALIMENTARES

           transtornos-alimentares-post-5 Já citei por aqui o que são os transtornos alimentares. Inclusive já expliquei a diferença entre anorexia e bulimia nervosa, os dois transtornos mais conhecidos. Também já revelei que os transtornos de alimentação são muito antigos. Mas no post de hoje, quero que você saiba que outros tipos de transtornos existem, por isso, vamos direto ao assunto.

            Há uma variação no número de transtornos alimentares existentes dependendo da fonte que se usa. Mas alguns deles são consenso, são graves e são mais estudados. Esses são os que citarei brevemente no post de hoje.

ANOREXIA NERVOSA

A Anorexia é a perda de peso intensa através de dietas rígidas e uma grande distorção na imagem corporal. Ou seja, a pessoa se vê gorda e por isso se priva cada vez mais de determinados alimentos. A pessoa fica tão magra que fica desnutrida e os órgãos param de funcionar, levando à morte. Leia mais sobre isso aqui.

BULIMIA NERVOSA

Bulimia se caracteriza por episódios de descontrole, onde há uma urgência de comer em grande quantidade seguido por arrependimento e utilização de métodos compensatórios, como o vômito forçado ou a ingestão de remédios. O acometido passa a ter déficits vitamínicos por não deixar nenhuma comida em seu corpo além de ter sangramento devido ao vômito constante. Leia mais sobre a bulimia aqui.

TRANSTORNO DA COMPULSÃO ALIMENTAR PERIÓDICA (TCAP)

transtornos-alimentares-post-3O TCAP é caracterizado por episódios de compulsão alimentar nos quais a pessoa ingere grandes quantidades de alimentos, geralmente parando só quando há sensação de desconforto corporal por estar cheio. Diferente da bulimia, nesse transtorno a pessoa não usa métodos compensatórios, deixando-a obesa e trazendo sérios riscos à saúde. Cerca de 2% da população sobre desse transtorno.

SÍNDROME DE PICA

Síndrome de PICA é o impulso de se alimentar de coisas não nutritivas ou que não são socialmente aceitas em sua cultura. Esse transtorno pode causar déficits vitamínicos além de poder causar uma intoxicação ou haver necessidade de cirurgia para limpar os órgãos internos. Os riscos são altos. Leia mais sobre essa síndrome aqui.

TRANSTORNO DE RUMINAÇÃO

É a remastigação ou regurgitação do alimento de forma repetida. Essa condição é psicológica quando não pode ser explicada por nenhuma condição médica. As consequências podem ser desidratação, desnutrição, perda excessiva de peso e, em casos graves, morte.

VIGOREXIA

A Vigorexia é um transtorno caracterizado pela insatisfação constante com a forma, força e vigor do corpo, levando a prática exaustiva de exercícios físicos, dietas radicais e uso abusivo de esteroides anabolizantes, óleos e outras drogas. Mostra-se um transtorno grave que pede atenção, pois pode ter sérias consequências à saúde. Leia mais sobre isso aqui.

ORTOREXIA NERVOSA

 É uma fixação por saúde alimentar, transtornos-alimentares-post-4qualidade dos alimentos ingeridos e pureza da dieta. Na Ortorexia Nervosa, o acometido consome exclusivamente alimento que venha de agricultura ecológica, livre de qualquer “alteração”, como componentes transgênicos, artificiais, pesticidas, herbicidas, corantes, açúcar, sal e etc. Muitas vezes até a forma de preparar o alimento e as ferramentas utilizadas são alvos de excessiva preocupação. É perigoso pois pode levar o indivíduo a grandes jejuns quando fora de casa e um sério isolamento social devido a práticas muito rigorosas. Leia mais sobre isso aqui.

SÍNDROME DO GOURMET

transtornos-alimentares-post-1Pessoas que sofrem dessa síndrome vivem preocupadas com a preparação, compra, apresentação e ingestão de pratos especiais, diferentes e e/ou exóticos. Causa afastamento, isolamento social e dependendo da alimentação escolhida pode causar déficit vitamínico.

HIPERGAFIA

É quando um trauma faz com que o indivíduo tenha um episódio de compulsão alimentar extremo, como que para aliviar a dor do trauma. Porém isso, causa aumento repentino de peso, influenciando na auto-imagem, auto-estima, autoconfiança e, claro, na saúde do acometido.

SÍNDROME DE PRADER-WILLI

Mais comum em crianças, é a necessidade involuntária de comer constantemente. Faz com que, mesmo sem perceber, sempre esteja com algo na boca, mastigando. Acarreta problemas de saúde, obesidade e cardíacos.

TRANSTORNO ALIMENTAR NOTURNO

Caracteriza-se pelo comportamento alimentar transtornos-alimentares-post-2excessivo durante a noite, mesmo em estado de sonambulismo. Costumam ser pessoas que fazem algum tipo de regime alimentar em sua rotina. Além dos prejuízos alimentares, há também uma preocupação com o estado psicológico do paciente, que começa a sentir que perdeu o controle de si mesmo.

Esses são apenas alguns dos transtornos alimentares conhecidos. Achei importante citá-los aqui para termos conhecimento de que existem e sabermos percebê-lo quando necessário. Lembre-se, se houver suspeita de algum desses transtornos procure imediatamente um profissional.

            EXISTE TRATAMENTO?

O ideal no tratamento de qualquer transtorno alimentar é que haja intervenção de uma equipe multiprofissional, envolvendo pelo menos um médico, um nutricionista e psicólogo. Assim, serão atendidas todas as necessidades da pessoa nessa condição.

Dentro da psicoterapia, o foco é compreender a causa desse distúrbio e tentar restaurar o equilíbrio na saúde alimentar e emocional do paciente.

Sobre a autora

Priscilla Figueiredo

Priscilla Figueiredo é Psicóloga de orientação Psicanalítica graduada pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas e atua na área da saúde como psicóloga clínica. Para disseminar seu conhecimento, criou o Psicologia Para Curiosos e escreve artigos regularmente aqui no site.

Deixe seu comentario