O que acontece se misturar Ansiedade e Depressão?

Dentre as doenças psíquicas mais comuns nos tempos de hoje estão, com certeza, a depressão e a ansiedade. O tipo de vida atual propicia um ambiente em que essas doenças se espalham rapidamente. Algumas pessoas sofrem com a depressão, outras com a ansiedade. Algumas sofrem com a depressão e tem sintomas de ansiedade e outras sofrem de ansiedade com sintomas de depressão atrelados. Mas existe um transtorno que agrega esses dois transtornos. Hoje vou falar do Transtorno Misto de Ansiedade e Depressão.

 

Transtorno Misto de Ansiedade e Depressão

Como eu já falei acima, a ansiedade é acompanhada de características comuns da depressão. Enquanto os sintomas depressivos com frequência se encontram em perturbações de ansiedade. Normalmente o diagnóstico se dá facilmente, pois é muito nítido o problema principal, com sintomas mais intensos. Porém, no Misto de Ansiedade e Depressão, há uma combinação equilibrada dos sintomas de ansiedade e depressão.

Esse é um transtorno não tão comum e é de difícil diagnóstico. Isso porque para se enquadrar, o sujeito tem que apresentar ao mesmo tempo os sintomas depressivos e ansiosos, sem predominância de nenhum deles e sem que a intensidade de um ou outro sintoma seja suficiente para ser feito um diagnóstico isolado.

SINTOMAS

            O Transtorno Misto é caracterizado pela presença de humor disfórico. Ou seja, há alterações de humor acompanhadas de sensação desagradável, irritabilidade, amargura, desgosto, ansiedade e inquietação. Quanto aos sintomas físicos, pode haver presença de tremores, enjoo, palpitações, sudorese e boca seca. Esses sintomas podem ser contínuos ou intermitentes.

            Além disso, o acometido tem grande dificuldade para se concentrar e tem frequentes “brancos”. Há uma pobreza na qualidade do sono, muito cansaço, fadiga ou falta de energia, preocupação excessiva, irritabilidade, choro fácil, sensação de que algo ruim irá acontecer, baixa autoestima, sentimento de inutilidade e falta de esperança com reação ao futuro.

TRATAMENTO

 Esses sintomas, além de causarem grande sofrimento ao indivíduo, costumam gerar prejuízos na vida da pessoa, seja no pessoal, no social ou no profissional. Por isso, é um transtorno que deve ser devidamente tratado.

O tratamento, idealmente, deve envolver um psiquiatra, um psicólogo e exercícios físicos. O psiquiatra irá avaliar a necessidade de intervenção farmacológica. O psicoterapeuta irá trabalhar o que levou a pessoa a essa situação e a diminuição dos sintomas. Enquanto isso, a atividade física ajuda, pois ela diminui tanto os sintomas depressivos quanto os ansiosos, por uma questão hormonal.

 

 

Referências

AMERICAN PSYCHIATRIC ASSOCIATION. DSM-V. Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais. Porto Alegre: ARTMED, 5a. ed, 2014.

Sobre a autora

Priscilla Figueiredo

Priscilla Figueiredo é Psicóloga de orientação Psicanalítica graduada pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas e atua na área da saúde como psicóloga clínica. Para disseminar seu conhecimento, criou o Psicologia Para Curiosos e escreve artigos regularmente aqui no site.

Deixe seu comentario