Fobofobia: O medo intenso de sentir medo

FobofobiaFranklin Roosevelt certa vez fez um discurso no qual dizia que a única coisa que se deve temer é o próprio medo. É uma frase bonita, impactante, mas bem mais complicada quando a coisa sai do filosófico e vai para o real.

 

O QUE É FOBIA

            Segundo o DSM-V a Fobia se dá em pessoas apreensivas e ansiosas e faz com que elas se esquivem de objetos ou situações específicas que lhe causam grande medo. Sempre que em contato com o objeto ou situação fóbica, o individuo apresenta medo, ansiedade e esquiva quase que imediatamente. Mas esses sentimentos são tão persistentes e fora de proporção com o risco real que se apresenta, que o individuo entra em grande sofrimento. Normalmente a pessoa fóbica tem múltiplas fobias, ou seja, tem medo de mais de uma coisa. Isso acontece com 75% dos casos.

            A fobia pode se desenvolver de algumas formas diferentes, na maioria delas é ligada ao contato direto ou indireto com um evento traumático. Por exemplo, uma pessoa que tem fobia de andar de carro pode tê-la desenvolvido depois de um evento traumático vivenciado (como sofrer um acidente de carro), por observação de outras pessoas que passaram por um evento traumático (como ver um acidente de carro acontecendo), por um ataque de pânico inesperado na situação temida (ter um ataque de pânico dentro do carro em uma viagem) ou por transmissão na mídia (ampla cobertura da mídia de um grave acidente automotivo). Mesmo assim, a maioria das pessoas não consegue se lembrar do evento que iniciou suas fobias.

 

FOBOFOBIA

Do grego phobos = “medo”. Fobofobia traduz-se literalmente para “medo do medo”. O paciente fobofóbico teme ficar ansioso e fica extremamente sobrecarregado com o medo de se deixar ter medo de um objeto ou situação. No geral, eles ficam receosos de viver uma experiência traumática, vergonhosa ou ficarem tão ansiosos que comecem a interligar essa vivência com a situação ou circunstância em questão e passarem a ter uma fobia.

O que difere a fobofobia das outras fobias é que ela não é causada por um estimulo externo ou evento traumático, tanto que muitas vezes o paciente fobofobico não tem nenhuma outra fobia. O que causa esse transtorno é um intenso processo interno de ansiedade. É um estado ansioso da mente que cria respostas ainda mais ansiosas levando a uma maior ansiedade, isso cria um ciclo vicioso. Ou seja, a Fobofobia é o medo experimentado antes de experimentar o medo apresentado nas fobias, temendo as sensações que o acompanham.

Ufa, dá quase um nó na cabeça, né?

FobofobiaClaro que todos nós já vivenciamos experiências nas quais estávamos com medo de assustar ou de sentir medo. Como em uma daquelas casas do horror que encontramos em parques de diversão. Isso é apenas uma leve ansiedade gerada pela noção de que logo surgirá algo com a intenção de te assustar, isso gera tensão, claro. Mas essa experiência está longe de ser prejudicial a nossa saúde e vida, como é a Fobofobia.

Por fim, é importante dizer que por mais que não seja uma fobia tão comum quanto às outras, ela também tem tratamento e deve ser tratada. Por isso, em presença de qualquer suspeita, procure ajuda profissional.

 

REFERÊNCIAS

AMERICAN PSYCHIATRIC ASSOCIATION. DSM-V. Manual Diagnóstico e Estatítico de Transtornos Mentais. Porto Alegre: ARTMED, 5a. ed, 2014.

Griez, E. J. and Van den Hout, M. A. Treatment of Phobophobia by Exposure to CO2-Induced Anxiety Symptoms. The Journal of Nervous and Mental Disease, n. 171, p. 506-508, 1983.

WANG Lin,HUANG Ren-jie,LI Qing-qing,et al., The Influencing Factors On Rabies Phobophobia In Clinic, Mordern Preventive Medicine, n. 19, 2008.

Sobre a autora

Priscilla Figueiredo

Priscilla Figueiredo é Psicóloga de orientação Psicanalítica graduada pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas e atua na área da saúde como psicóloga clínica. Para disseminar seu conhecimento, criou o Psicologia Para Curiosos e escreve artigos regularmente aqui no site.

Deixe seu comentario