Esquizofrenia e Cegueira

A esquizofrenia é uma doença bastante reconhecida atualmente. Atinge 1% da população mundial, entre homens ou mulheres de quaisquer etnias. Mas a doença parece ter uma preferencia por pessoas mais jovens. Há, e também pessoas que não tenham nascido cegas.

A Esquizofrenia

Médicos do século XIX já descreviam a esquizofrenia como uma demência que causava tal retraimento do indivíduo para dentro de si mesmo que o paciente entrava em um grande estado de delírio, fazendo com que perdesse completamente o contato com a realidade.

Hoje se sabe que a esquizofrenia é uma doença psiquiátrica séria que é caracterizada pela perda de contato com a realidade. A pessoa que sofre da doença se fecha e parece não responder às coisas ao seu redor. É comum que haja episódios de delírios persecutórios, ou seja, a pessoa imagina que está sendo perseguida, observada, ameaçada ou correndo perigo. Ocorrem também alucinações, quando a pessoa vê e/ou ouve coisas que ninguém mais vê.

A esquizofrenia atinge ambos os sexos e não faz diferenças entre etnias, porém ocorre mais em pessoas jovens. Atualmente existem tratamentos essenciais que são muito eficazes, principalmente se embutidos logo após o diagnóstico. Por isso é importante ficar atento! Como o paciente se fecha, fica agressivo e suspeita que esteja sendo perseguido, ele acaba se afastando da família e amigos. Quando esses dizem que não veem ou ouvem o que ele vê, ele pode achar que está de frente com seu inimigo tentando enganá-lo. Por isso, é de suma importância que se procure auxilio de um especialista aos primeiros sinais da doença. Presta bastante atenção nos detalhes também, como não existem exames (de sangue ou imagem, por exemplo) que comprovem a doença, é importante relatar os fatos para que o especialista possa fazer um diagnóstico correto e eficaz.

Um estudo curioso

O interessante é que um estudo (um pouco antigo, mas ainda interessante) realizado em 1980 faz uma relação curiosa entra a doença e a cegueira. O estudo buscava compreender a origem e o tratamento da doença. Para isso, os estudiosos visitaram uma ala para cegos de um grande hospital psiquiátrico, querendo estudar pacientes que eram cegos E esquizofrênicos. Você imagina que encontraram diversos casos que podiam ser estudados, é claro, eles também devem ter pensado isso. Mas o que eles verificaram? Que nenhum paciente diagnosticado com esquizofrenia era cego no momento em que foram internados, eles adquiriram problemas de visão depois. Os casos mais graves, de cegueira parcial, foram dois. Um perdeu o olho esquerdo em uma briga e o outro teve Irite (inflamação na íris) no olho direito.

Esquizofrenia e CegueiraDaí para frente surgiram discussões e alguns outros estudos que confirmaram a inexistência de registro de pessoas nascidas cegas que desenvolveram a esquizofrenia. Interessante, não? Também levantou uma dúvida: será que o tratamento para a doença poderia gerar a cegueira? Hoje se sabe que existem alguns efeitos colaterais que podem aparecer, mas nada grave. A medicação causa apenas visão embaçada, mas pode agravar casos de glaucoma, por isso é importante ter cuidado nesses casos. O importante é manter-se no tratamento, visando à qualidade de vida do diagnosticado e daqueles a sua volta. Mas fica a dúvida, será que a esquizofrenia não atinge aqueles nascidos cegos ou será que existem casos por aí que os estudiosos só não tomaram conhecimento?

 

REFERÊNCIAS

LOUZÃ NETO; O que é Esquizofrenia. Saúde Mental.Net, 2010. [Disponível em: http://www.saudemental.net/o_que_e_esquizofrenia.htm]

PLON; ROUDINESCO. Dicionário de Psicanálise. Editora Zahar, p. 189-193, 1998

RISCALLA. Blindness and Schizophrenia. Medical Hypotheses, v. 6, p. 1327-1328, 1980.

SILVA. Esquizofrenia: uma revisão. Psicol. USP,  São Paulo,  v. 17, n. 4, p. 263-285,  2006.

Sobre a autora

Priscilla Figueiredo

Priscilla Figueiredo é Psicóloga de orientação Psicanalítica graduada pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas e atua na área da saúde como psicóloga clínica. Para disseminar seu conhecimento, criou o Psicologia Para Curiosos e escreve artigos regularmente aqui no site.

Deixe seu comentario